“Creio que a harmonização do jurídico com o econômico seria, no Brasil de hoje, uma das formas de resgatar o ideário de San Tiago Dantas. A racionalidade econômica, a segurança requerida pelo investidor quando se discute um investimento de maturação mais demorada, a afirmação do contrato como instrumento eficaz de minimização ou neutralização de riscos, a previsibilidade das decisões judiciais e sua exteriorização em tempo razoável, a construção de fontes alternativas de financiamento da produção, passando por um mercado de capitais robusto e democratizado, tudo isso, enfim, depende da capacidade de darmos inteligência jurídica às relações econômicas.

Na verdade, precisamos de uma corrente nova de pensamento, que tenha por objetivo a capacitação do profissional do direito, a sua reinserção nos centro decisórios, compartilhando responsabilidades no equacionamento dos problemas econômicos e sociais que surgem cada dia.

 

O resgate de San Tiago Dantas significa, a meu ver, o empenho em resolver essa equação, construir esse equilíbrio, buscar incessantemente o aperfeiçoamento do direito como instrumento de regulação das relações humanas.”

Fonte:
Atualidade de San Tiago Dantas
São Paulo: Lettera.doc, 2007
Página 78