“O outro importante representante da esquerda moderada era San Tiago Dantas, o novo Ministro da Fazenda. San Tiago havia acumulado uma fortuna como grande advogado e, como membro da elite financeira e intelectual do Brasil, tentava criar uma ponte entre as novas forças políticas descontroladas e indisciplinadas na esquerda (sobre as quais Jango tinha um controle inseguro) e o antigo poder estabelecido. Dotado de brilhante inteligência e inesgotável engenhosidade nas negociações políticas, San Tiago havia sido rejeitado, em julho de 1962, pela Câmara dos Deputados, como Primeiro Ministro de Jango. Jovem líder intelectual integralista, na década de 30, e agora membro moderado da ala esquerda do PTB, estava determinado a levar adiante enérgica política de estabilização como pré-requisito para um maior desenvolvimento econômico.(...)

Intelectualmente, San Tiago prestava-se de modo admirável para representar a opinião do centro e da esquerda moderada. Pessoalmente, no entanto, faltava-lhe a base política, embora sobrassem os dotes que poderiam tê-lo feito um líder popular ou, pelo menos, um manipulador bem sucedido de outros políticos.”

Fonte:
Brasil: de Getúlio a Castelo
Thomas Skidmore.
Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976
5ª Edição. Paginas 286-287